Rio Grande do Norte

Pandemia

Comitê emergencial de Segurança Alimentar será lançado nesta quarta-feira (29) no RN

O comitê articulado por movimentos sociais e sindicatos tem como objetivo atenuar a crise no estado

Brasil de Fato | Natal (RN) |
Comitê Emergencial é articulado por movimentos populares e sindicatos com o objetivo de atenuar os efeitos da pandemia - Divulgação

Nesta quarta-feira (29), às 17h,  será lançado o Comitê Potiguar Emergencial e Solidário de Segurança Alimentar e Nutricional, através de uma live, apresentada pelo Coordenador Geral da ASA Potiguar, Marcírio Lemos.

A live contará também com a participação de Eliane Bandeira, presidenta da CUT-RN; professor Alexandre Lima, secretário de Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (SEDRAF); Josiane Bezerra, secretária adjunta de Trabalho, Habitação e Assistência Social (SETHAS) e Jean Pierre, presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do estado (CONSEA).

A pandemia do novo coronavírus foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença altamente contagiosa. Os dados são atualizados diariamente e a cada atualização o número de casos cresce de forma alarmante, no Brasil e no mundo. Configura-se, nesse contexto, uma crise de proporções sanitária, econômica, social e política. As comunidades mais atingidas, entre elas, as populações das periferias das cidades, as pessoas em situação de rua, imigrantes, desempregados, trabalhadores informais, comunidades tradicionais quilombolas, indígenas e agricultores, precisam de espaços interinstitucionais emergenciais a fim de atenuar tais consequências em curto prazo.

O Comitê Potiguar Emergencial e Solidário de Segurança Alimentar e Nutricional para Combate a Pandemia do COVID–19 surgiu a partir da necessidade dos movimentos sociais e federações sindicais de se organizarem enquanto setor da sociedade civil para buscar alternativas viáveis para as famílias em situações de risco no Rio Grande do Norte, bem como garantir que os agricultores também se sintam contemplados nas ações a serem realizadas.

O Comitê será composto por todos os movimentos populares, entidades jurídicas, associações, cooperativas e articulações do terceiro setor, implicados na crise sanitária, em conjunto com o governo do RN, assim como, autarquias e órgãos do governo Federal, responsáveis por ações diretas dentro do Estado. Este Comitê tem caráter multidisciplinar, multiprofissional e intersetorial, compostos exclusivamente por organismos coletivos, formais e informais.

Seu objetivo é monitorar e propor soluções articuladas e intersetoriais dos sistemas de segurança alimentar, nutricional, saúde, assistência social e da sociedade civil, com foco na agricultura familiar e nos grupos mais vulneráveis à fome no RN. Assim como, acompanhar as ações e estimular a criação de Comitês Municipais ou Comunitários de Emergência.

O Comitê também será um aporte dos movimentos e demais entidades do terceiro setor para o diálogo com o Governo do Estado. Sua proposta é garantir o atendimento e acompanhamento pela atenção básica de saúde às famílias que estão na zona rural, especialmente pelo fato do envelhecimento e adoecimento dessa população, sendo, portanto, prioritária, já que incluída no grupo de risco do COVID-19. Também é proposta do referido Comitê garantir e contribuir diretamente para o cumprimento do isolamento social, através de ajuda financeira emergencial ou benefícios eventuais, a exemplo de cestas básicas doadas às populações em estado de vulnerabilidade social, com perfis já inscritos ou a serem incluídos no Cadastro Único – CadÚnico do Governo Federal.

Edição: Hilder Andrade